::DESTAQUES
O que é capital de giro e como calculá-lo?


Quando uma empresa inicia as suas atividades, recebe dois tipos de investimentos. Um, considerado como investimento fixo, que servirá para a aquisição das máquinas, móveis, prédio, ferramentas, enfim, para investir em itens do ativo imobilizado.

Na hora de se “alavancar”, a empresa tem que fazer um planejamento para não pagar taxas excessivas por esses recursos. 

A outra parte dos investimentos vai compor uma reserva de recursos para ser utilizada conforme as necessidades financeiras da empresa ao longo do tempo. É o chamado capital de giro. Esses recursos ficam alocados nos estoques, nas contas a receber, no caixa ou na conta corrente bancária.

Fique atento: Reconhecer e também administrar, de forma correta o valor correto do capital de giro significa ficar longe de descontos de cheques pré-datados e duplicatas, todos os dias.

O estoque de uma empresa é formado e mantido em função das necessidades do mercado consumidor, portanto, este está sempre sofrendo mudanças, seja em tipos de itens ou em quantidades.

Quanto maior a necessidade de investimento nos estoques, mais recursos financeiros a empresa deverá ter.

As contas a receber são resultados das vendas realizadas a prazo, ou seja, o seu cliente leva o seu produto e lhe devolve o recurso financeiro depois. Portanto, quanto mais prazo você oferece ao cliente ou quanto maior for a parcela de vendas a prazo no seu faturamento, mais recursos financeiros a empresa deverá ter.

É nas contas correntes bancárias e no caixa que fica concentrada a parcela dos recursos financeiros disponíveis da empresa, ou seja, aquela que a empresa pode utilizar a qualquer tempo para honrar os seus compromissos diversos. Dependendo do saldo inicial, das entradas e das saídas, pode ocorrer uma falta ou uma sobra desses recursos em um momento específico, dia ou semana.

Neste sentido, as decisões de compras e vendas não podem ser tomadas sem nenhum critério. Sempre que uma decisão de compra ou de venda for tomada é necessário que sejam feitas uma análise e uma avaliação sobre a disposição dos recursos financeiros da empresa para isso. Se for tomada uma decisão de compra em excesso, a empresa deverá ter uma quantidade maior de recursos financeiros. Se for tomada uma decisão de dar mais tempo para os clientes nas vendas a prazo, a empresa também precisará de mais recursos financeiros. Se esse recurso não existe, a empresa acabará tendo de utilizar recursos emprestados de bancos, de fornecedores ou de outras fontes, o que irá gerar uma necessidade de pagamentos de juros, diminuindo a margem de lucro do negócio.

Portanto administrar o capital de giro da empresa significa avaliar o momento atual, as faltas e as sobras de recursos financeiros e os reflexos gerados por decisões tomadas em relação a compras, vendas e à administração do caixa.

   O empresário Norberto Nunes de Andrade, de Aracaju, quer saber onde obter recursos para financiar o capital de giro de sua empresa. É uma dúvida relevante, pois para cada necessidade há uma linha de financiamento específica. Na hora de se “alavancar” (tomar empréstimo), a empresa tem que fazer um planejamento para não pagar taxas excessivas por esses recursos.

O capital de giro é aquele dinheiro em geral de curto prazo que financia o dia-a-dia da empresa enquanto a receita da venda de produtos e serviços não entra no caixa.Paulo Alvim, executivo do Sebrae responsável pela área de captação de recursos e financiamento, diz que antes de correr ao banco para tomar um empréstimo, é fundamental fazer um balanço efetivo de quanto você esta precisando de capital de giro. “Muitas vezes o capital de giro pode estar dentro da empresa, como por exemplo num estoque que pode ser vendido, de materia prima ou de produto acabado, ou mesmo negociar um novo prazo de pagamento a um fornecedor”, diz ele.
Na hora de buscar financiamento para o capital de giro de sua empresa, cuidado:

1- Nunca caia na tentação de usar o seu limite do cheque especial para financiar o capital de giro da em presa;
2- Pesquise as taxas em vários bancos. Na página do Banco Central você pode ter uma ideia das taxas que estão sendo praticadas em diversos bancos;
3- Faça um levantamento detalhado da operação de sua empresa, mostre ao gerente os contratos que você tem, enfim, deixe claro para o banco sua capacidade de pagamento para negociar taxas mais baixas.
capitaldegiro

OUTROS DESTAQUES